Primeiras novidades da linha HD 2018

Bom Dia, Amigos!

Estamos iniciando o mês de Maio e começa a época onde teremos aos poucos novidades liberadas dos principais fabricantes (aqui coberto por este blog a Harley e a Indian).

Acabei de receber a tabela de cores para a linha 2018 da HD  e gostaria de dividi-la com todos os leitores em primeira mão.

Vejam abaixo as fotos….porém um detalhe importante: Minha fonte não fotografou a parte onde temos as custom colors para 2018 e nem onde tem as Hard Candy Custom (flakes)…mas já adianto que elas estão presentes sim.

As HCC se chamarão Hard Candy Shattered Flake e Hard Candy Chamaleon Flake.

colors1colors2colors3colors4

Minha percepção é que teremos cores com tons escuros este ano…mas confesso a todos que estou curioso para saber como será as cores e o brasão das edições de aniversário para os 115 anos.

Gostaria de ler o comentário de todos!

Abraxx!

Anúncios

Nova HD – o “retorno” da Street Rod

Bom Dia Amigos,

Como havia dito no final deste post, onde fiz uma avaliação sobre a notícia de que a HD lançaria num futuro próximo 50 novos modelos…. argumentei que um dos caminhos seria a expansão da linha Street com o Revolution X.

Hoje pela manhã, neste pré-Daytona Bike Week, acordamos com mais um lançamento após a Road King Special.

Trata-se da Street Rod.

Isso mesmo, você não leu errado…Street Rod…aquele mesmo nome que já foi usado em 2006/2007 para um modelo mais esportivo derivado da V-Rod

Harley_Davidson_V-Rod_VRSCR_Street_Rod_2006_67faaddad3.jpg

Porém, como havia dito, um dos caminhos da HD surgir com novos modelos era justamente com a expansão da linha Street…e vemos hoje este modelo abaixo, que ganhou o mesmo nome.

1489028188052.jpg

8519.jpg

Como podemos ver, é uma Street 750 com algumas modificações visuais e  um certo grau de esportividade, além de modificações no chassi (angulo de cárter de 32 para 27 graus)

Comecemos pelo fairing e guidão. Trata-se de um guidão drag bar com os retrovisores incorporados na ponta dos grips. Estas duas peças já estavam disponíveis no catálogo de acessórios da HD desde o inicio do ano.

Screen Shot 2017-03-09 at 06.47.22.png

Outro detalhe importante a se observar, foi o uso de uma roda maior, aro 17 (com o mesmo desenho da roda da Livewire) e o conjunto de suspensão invertida e para-lamas (parecido com o da Roadster e Livewire também) – mais uma vez, o conceito de reaproveitamento de partes.

Screen Shot 2017-03-09 at 06.47.47.png

Por fim, a suspensão traseira possui ajuste a gás.

Screen Shot 2017-03-09 at 06.47.04.png

8536.jpg

O motor, apesar de ser o Revolution X que equipa a Street 750, foi baitzado de High-Output Revolution X uma vez que recebeu modificações similares ao Twin Cam com um melhor filtro de ar para termos mais potência – um aumento de 18% em cavalagem e 8% mais torque do que Revolution X normal

8523.jpg

A iluminação traseira e os piscas serão de led.

8526.jpg8530.jpg

A moto estará disponível em Vivid Black, Charcoal Denim e Olive Gold com preço sugerido de USD $8699.00

Segue abaixo os detalhes do novo modelo.

Screen Shot 2017-03-09 at 07.03.08.png

O que vocês acharam?? Aguardo comentários.

Abraxx a todos!

Grande novidade linha 2017 HD

Bom dia, Amigos Leitores.

Estamos se aproximando do Rally de Sturgis e na sequencia ocorrerá as apresentações das linhas 2017 tanto da Indian como da Harley-Davidson.

A Indian, que nos últimos anos usou o evento de Sturgis como palco de suas apresentações, neste ano divulgou suas atividades, porém com nenhuma menção em relação a sua apresentação 2017.

O Dealer Convention da Polaris acontecerá entre os dias 23 a 25 de Julho….

Já a HD, tem o seu dealer convention marcado para 22 a 25 de Agosto na cidade de Boston.

Como já divulguei antes, as cores já são conhecidas e alguns modelos que eventualmente sairão de linha também…a saber: Seventy Two, Switchback, Fat Boy Lo/Special e as Touring “Low”.

Agora, a grande novidade que vinha sendo ventilada é que teriamos um motor novo… e acabo de ter confirmações visuais positivas.

Trata-se de um motor com 4 válvulas por cilindro cujo nome que foi registrado pela HD é MILWAUKEE EIGHT.

2017 HD 2.jpg

Abaixo segue o link de 2 sites que buscam registros de marcas…e pode-se ver que foram feitos em junho de 2014

http://www.trademarkia.com/milwaukeeeight-86321761.html

http://www.markhound.com/trademark/search/J85SK54qC

Este nome é o que será utilizado, uma vez que aparece estampado na tampa do filtro de ar…que tem um design ligeiramente diferente do 103. È um motor que terá 107 polegadas cúbicas

Já os Cylinder Heads são bem diferentes no visual…

2017 HD 1.jpg

Segundo os rumores, a linha Touring está recebendo uma intensa reformulação para receber o Milwaukee Eight

Pelas fotos do MILWAUKEE EIGHT.. ele é bem real.

As fotos foram feitas, aparentemente em locais internos da HD, e lembra bem quando vazaram as fotos do fairing da Road Glide.

Agora é aguardar para vermos quais são os modelos que serão equipados pelo 107CI

Abraxx a Todos!

Novidades Linha 2017 Harley-Davidson

Boa Noite, Amigos Leitores!

Como sempre, nesta época do ano é que começam a surgir as primeiras novidades da linha que virá para o próximo ano,  que será apresentada para os dealers entre 22 e 25 de Agosto deste ano e o evento acontecerá na cidade de Boston, Massachussets.

Normalmente, a primeira informação a ser divulgada é a tabela de cores e nela já podemos fazer algumas previsões.
Neste ano, não foi diferente e posto para os leitores do blog a informação em primeira mão.

Numa primeira análise, vejo que não há muitas novidades para as cores únicas a não ser um novo amarelo. Teremos 2 novas cores foscas (Denim) um vermelho e um branco (que já existiu em 2011…mas era outro tom de branco)

As novidades estão nos Two Tones, uma delas inclusive fosca (denim), as custom colors e as cores flake (uma mantida e duas novas)

Já em relação aos modelos, a tabela de cor traz algumas informações curiosas:

A primeira é que uma Sportster será eliminada…uma vez que hoje no mercado americano há 7 modelos (contando com a nova Roadster) e a tabela só mostra 6…. não está muito legível, mas parece (repito, parece) que deve ser a Seventy Two.

Outra coisa que a tabela mostra de forma indireta, é que o programa de customização HD-1 provavelmente será descontinuado, pois não são mais mostradas cores específicas para este programa e tão pouco os 2 modelos que faziam parte (e que tinham uma denominação a parte).

Agora, a terceira coisa curiosa: A Fat Boy Lo (que no mercado internacional é chamada de Special) será eliminada do mercado doméstico, sendo mantida apenas para alguns mercados internacionais selecionados (o Brasil sendo um deles)….o motivo é que as vendas da nova Fat Boy S tomaram o espaço (naturalmente…também e toda preta e com motor mais potente…)

As cores para este ano serão:

– Vivid Black

– Black Denim

– Superior Blue

– Black Quartz

– Charcoal Denim

– Billet Silver

– Crushed Ice Pearl

– Velocity Red Sunglo

– Olive Gold

– Olive Gold Denim

– Corona Yellow Pearl (Nova)

– Crushed Ice Denim (Nova)

– Red Iron Denim (nova)

– Fire Red

– Billet Silver & Vivid Black

– Mysterious Red Sunglo & Velocity Red Sunglo

– Crushed Ice Pearl & Frosted Teal Pearl

– Superior Blue & Billet Silver (Nova)

– Black Hills Gold & Black Quartz (Nova)

– Charcoal Denim & Black Denim (Nova)

– Bonneville Blue & Fathom Blue (Nova) – Custom Color

– Laguna Orange (Nova) – Custom Color

– Hard Candy Custom Black Gold Flake

– Hard Candy Custom Mystic Purple Flake (Nova)

– Hard Candy Custom Hot Rod Red Flake (Nova)

 

Aguardo os comentários!

Abraxx a todos!

Test Rides, Vistas a Dealers e algumas avaliações

Boa Noite amigos Leitores,

Estava já planejando escrever esta coluna há algum tempo e agora tenho bons motivos de sobra para fazê-la.

Deste janeiro deste ano, tive a oportunidade de participar de alguns test rides de modelos da Harley e também da Indian e vou agora descrever e analisar calmamente cada momento.

Havia a dúvida, se escreveria em ordem cronológica ou de acordo com o que eu mais gostei para o que menos gostei….e acho que o mais justo seria escrever na ordem que as coisas aconteceram….mas já aviso de antemão, o último relato que é o Test Ride mais recente foi o que eu mais gostei.

Então vamos começar:

1- Harley-Davidson USA

Estive em viagem no inicio do ano a Miami, e em um dos finais de semana optei por passar no Peterson’s North Miami para olhar o showroom. Já conhecia o dealer de outras passagens e na loja em si nada me chamou a atenção.

Porém, era o final de semana que estava ocorrendo o Miami Motorcycle Show e por conta disso o Demo Truck da Harley estava na revenda. Desta forma, optei por participar do test ride.
Para quem nunca participou de um, não tem mistério, basta apresentar a sua carteira de motorista e estar vestindo roupa apropriada… o capacete, se você não tiver um, é disponibilizado.

Na ocasião, tinha uma boa variedade de modelos para se escolher desde Sportsters até as CVO Limited e CVO Road Glide. Pode se rodar em quantas motos quiser, sem limites.

O primeiro modelo que acabei escolhendo foi uma Dyna Low Rider já com o novo Twin Cam High Output.
O trajeto do test ride foi explicado pelo piloto que iria “puxar o bonde”  e na verdade era uma volta em “quadrado” (não necessariamente um quarteirão…bem maior do que isso) e que seria um trajeto com um total de 7 milhas nas largas avenidas da cidade.


Sai com a moto e fui seguindo o trajeto na velocidade do grupo, que variava em 60-65 mph, ou seja, dava para realmente sentir a moto.

Em relação a moto, achei-a muito confortável e comparativamente com a minha 883 Low, a moto se mostrou com uma condução mais dócil e mais fácil de se fazer curvas, porém ao meu ver houve 2 pontos negativos….o primeiro é que achei a dianteira da moto leve demais e o segundo que os botões dos comandos de punho eram muito duros comparado com o toque da minha Sportster.


Dali, optei por experimentar a novissíma Softail Slim S. De pronto a posição me agradou muito mais do que a da Low Rider, com o Hollywood handlebar. Neste modelo específico, a orientação é que eu fosse o segundo do bonde logo atrás de uma V-Rod Muscle.


A moto é muito confortável e mais fácil ainda do que a Low Rider de ser pilotada, porém, temos alguns contratempos. O primeiro é sua baixa altura ao solo, o que faz você raspar a plataforma nas curvas com uma tremenda facilidade. O segundo, por conta do motor de 1800cc, a embreagem é muito mais dura do que o habitual e o motor por ser arrefecido a ar (diferente as CVO que é o Twin Cooled) esquenta bem….além da questão dos comandos de punho.


Gostei bem da Slim (não precisaria ser a S…) no caso se eu fosse fazer um upgrade dentro da Harley….porém o modelo não é comercializado no Br.

2- Autostar Harley-Davidson

Ao acompanhar minha esposa em um sábado em SP, onde ela foi para sua aula de pós-graduação, optei por dar uma passada na loja da Autostar na região da Nações Unidas, já que eu não conhecia a loja. Aproveitei para testar o atendimento do lugar, já que conheço o atendimento da ABA (péssimo) e da Tennessee (variável).

Num primeiro momento, rolou a síndrome do fantasma….fiquei andando pelo showroom sem que ninguém me abordasse, até o momento que sentei em uma Low Rider na cor Cosmic Blue.
Me fiz de um cliente que não conhecia a moto e passei a perguntar sobre o modelo, e o vendedor em questão mostrou ter um certo conhecimento sobre o modelo. Porém, a conversa logo virou ao iniciar uma certa empurroterapia para uma Fat Boy e então tentei ver se um test ride era oferecido…. Sentamos a mesa e me foi passado os números (da Fat Boy e não da Low Rider que olhara primeiro)…..e ouvi a pérola: “quando você vier fechar você faz um test ride”…Poxa, se eu for a loja para fechar negócio já não terei mais dúvidas sobre o modelo, certo?? Ponto negativo aqui.
Agradeci ao atendimento e fui embora….para o próximo destino.

3- Indian Motorcycle SP

Estive na loja da Av. dos Bandeirantes na sua inauguração e já conheço os modelos da Indian de frequentar o dealer em Miami, porém nunca havia chegado a andar em uma.
Encontrei amigos de Santos que estavam pela loja e que estavam fazendo Test Rides e na sequencia, pedi para rodar em uma Scout.

Fui prontamente atendido a solicitação, assinei documentos, peguei capacete e fui explicado pelo piloto que me acompanharia qual seria o trajeto….que na verdade era apenas uma volta no quarteirão…simples assim.

Saimos e pude, já na rua atrás da concessionária, sentir o quanto o modelo é superior a HD no quesito conforto, já que estava em uma rua esburacada e de paralelepípedos. Além do conforto proporcionado pelo banco e suspensões, pude ver que o modelo tinha uma boa potência e torque, ainda que não passara da segunda marcha. Porém, para minha surpresa, o motor com arrefecimento líquido esquenta tanto quanto a minha Sportster num dia quente….e a moto estava com escape original.


Fui bem atendido, passado valores dos modelos e uma avaliação da minha moto.

4- Indian Motorcycle Rio

Honestamente, é aqui que as coisas realmente brilharam…Acho que todos os dealers deveriam fazer treinamento com o time desta loja.

Estava em Congresso no RJ e resolvi passar na loja para visitar o Lobo e o Felipe Carlier. De pronto, fui calorosamente recebido o que me fez me sentir em casa….conversamos bastante e a convite deles fui rodar nas motos.

Assinado papeis e capacete (Aqui vai um review a parte mais embaixo….) sai com a Scout enquanto o Lobo, que me acompanhava, foi com uma Chief.

Realmente agora tive a possibilidade de sentir a Scout de verdade…confirmando as minhas impressões iniciais de que era uma moto extremamente confortável, com uma excelente pilotagem e com um baita torque. Notei que a aceleração dela me pareceu um pouco brusca e o ABS por outro lado, transmitiu muita segurança.
A Scout em questão estava com ponteiras abertas, o que permitiu ouvir o seu som real, e notei que a moto esquentava como o modelo de SP que estava com o escape original.

Num dado ponto do trajeto, o Lobo me ofereceu para trocar pela Chief. Confesso que o tamanho da moto já no showroom me deixava um tanto intimidado e mencionei isso, mas as palavras de confiança foram boas e optei por pilota-la.

E que moto surpreendente!! Super estável, segura e potente…diferente da Softail Slim S que testara nos EUA…sua aceleração é linear, a moto, apesar do tamanho é de muito fácil condução mesmo em situações de corredor….e te traz muita segurança. Alem, de claro do ABS na hora das paradas.
Confesso, que tive uma certa dificuldade em curvas por estar desacostumado com o modelo, mas em nenhum momento me transmitiu qualquer insegurança. Além do mais, o motor de refrigeração a ar, não esquenta!!
A moto é sim superior a Harley no quesito acabamento e no tocante a conforto….o modelo praticamente sana todos os defeitos que a HD tem.


Voltamos a loja e conversamos bastante.

A Chief, mudou os meus conceitos e apesar do seu tamanho, o peso de 357kg nao assustam tanto devido ao seu quadro em alumínio.

Vou ser bem honesto, a proposta de negócio da Indian Rio foi fantástica e no momento estou naquela fase de convencer a esposa e fazer uma matemática para as coisas darem certo.

Como disse ao Felipe….entrei na loja com a Scout na cabeça e sai com a Chief no coração.


Aos críticos da Indian…acho que é merecido abrir a cabeça e realizar um test ride….realmente é algo que surpreende e muda os conceitos de qualquer um.

Agora, o review do capacete: Muitos já devem ter visto no facebook e nas diversas lojas de motocicletas e oficinas o capacete da marca Urban. Trata-se de um capacete de alta qualidade e ultra confortavel…vale a pena o investimento (não sei o preço)….superior a muitos capacetes “old school” que se vê por ai….basta olhar o acabamento dele e o confot.

Enfim….estou super balançado para colocar uma Chief vermelhinha na garagem….. Se você estiver pelo RJ…não deixe de ir visitar os rapazes da Indian Rio e se for fechar negócio numa Indian…não o façam sem falar com eles….é garantia de excelente negócio.

Abraxx a todos!

Nova Sportster Roadster

Boa Noite, Amigos Leitores!

Enquanto nós brasileiros ainda estamos discutindo os pormenores da votação do Impeachment, muitos sequer perceberam que hoje temos notícias novas no mundo do motociclismo.

Seguindo a tendência iniciada em 2007 com o lançamento “mid-year” da então Nightster, que foi o modelo que tanto inaugurou a linha da Dark Custom como os lançamentos de meio de ano….a HD apresentou hoje mais um “novo” modelo.

Baseada na família Sportster e utilizando alguns elementos da finada XR1200….o novo modelo recebeu um nome que é recorrente na família….chama-se ROADSTER (XL1200CX)

Na verdade o nome já tinha sido usado na decada de 7o e mais recentemente também em uma Sportster 1200 que foi vendida no mercado americano até 2008

Eis o novo modelo

3139.jpg3135.jpg3140.jpg

 

Trata-se de uma Sportster 1200 com o para-lamas mais cortado que o usual, garfos invertidos e freios duplos já utilizados na XR1200 (e XR1200X) além de um banco tipo café racer….o mesmo vale para o guidão que é inspirado neste mesmo tipo de moto… Para entender quais são as modificações…segue o próprio gráfico da HDScreen Shot 2016-04-18 at 9.46.58 PM.png

Além destas modificações, segue o visual do velocímetro e guidão…

3145.jpg

3144.jpg

Eu particularmente não gostei do modelo…na verdade não sou fã desta modinha de para-lamas cortados que vem do gosto dos designers mais jovens que andam povoando o dept. de estilo da HD (sou de uma geração mais clássica).

3142.jpg

Gostaria de ler a opinião dos leitores sobre o assunto….

 

Abraxx a todos!

O que há num nome….e a importância de se expressar corretamente

Recentemente tenho visto uma enormidade de erros das pessoas ao se referir aos modelos, cores e nomenclaturas que chega até dar arrepios…. Muitos dos erros que são repetidos por muitas pessoas, foram solidificados na cultura Harley brasileira de forma incorreta, alguns por desconhecimento puro…outros por conta do marketing do antigo grupo detentor da marca e principalmente, dois culpados, a imprensa nacional (que ao meu ver melhorou bastante) e o velho papo de vendedor.

Decidi escrever este post, para tentar levar ao maior número de leitores algumas correções…e torcer para que seja bem disseminado, (quem quiser compartilhar, fique a vontade, porém peço a gentileza de citar a fonte)…para então evitar de ler coisas medonhas no futuro. Vou dividir por famílias os erros mais comuns, assim fica mais fácil de identificar.

Família Sportster

Aqui, talvez o erro mais crasso seja a confusão de modelos e a bendita insistência em se chamar a Sportster 883 STD de Hugger..Mas para isso é preciso entender de onde surgiu este nome, e o que ele significa.

Na década de 90, a família Sportster era basicamente composta dos seguintes modelos:

– Sportster 883 (STD)

– Sportster 883 Hugger

– Sportster 883 Deluxe (até 1995)

– Sportster 1200 (STD)

– Sportster 1200 Custom (a partir de 1996)

– Sportster 1200 Sport (a partir de 1996)

As diferenças entre as 883 eram as seguintes:

1 – A STD tinha as suspensões mais elevadas, banco solo e guidão mais baixo….

1993 Sportster 883

1993 Sportster 883

2- A Hugger por sua vez, ganhou este nome por ser mais baixa e seu publico eram pessoas que tinham dificuldade de ficar com os 2 pés firmes no asfalto… logo, tinha suspensão dianteira e traseira mais baixa, banco tipo pillow-look (de botões) e guidão buckhorn.

1993 Sportster 883 Hugger

1993 Sportster 883 Hugger

3- A 883 Deluxe nada mais era do que uma 883 STD com os seguintes atributos: Rodas raidadas, banco inteiriço e depois de 1993 ganhou o guidão buckhorn.

1993 Sportster 883 Deluxe

1993 Sportster 883 Deluxe

Entre as 1200…a STD possuia banco inteiriço, o mesmo perfil de suspensão da 883 STD e Deluxe e o buckhorn.

1997 Sportster 1200

1997 Sportster 1200

A 1200 Custom possuia um riser, com guidão tipo dirt track, que mais tarde foi substituido por um drag bar (nos anos 2000), possuia freio simples flutuante na dianteira e também disco flutuante na traseira.

A 1200 Sport, tinha um conjunto de suspensões reguláveis a gás tanto na dianteira como na traseira, freios flutuantes duplos na dianteira e simples flutuante na traseira, e a partir de 1998 passou a contar com duas velas por cilindro.

O que tenho visto com muita frequência são as pessoas chamando a Sportster 883 STD e a Sportster 1200 STD de Hugger. Isso veio muito de conversa furada de vendedor…e para o leitor fazer uma analogia correta….a Hugger equivaleria ao modelo que nos dias atuais é chamado de Low….ou seja….suspensões, bancos e guidão favorecendo a ergonomia das pessoas de baixa estatura (eu mesmo sou proprietário de uma 883 Low 2006).

Outra coisa que muita gente não sabe, e que um eventual comprador deve ficar atento, é que o VIN da moto as identifica como STD, Hugger ou Deluxe… e ainda, apesar de poder parecer meio fictício já que o que se vê com maior frequência são de fato as 883 STD….. tanto a Hugger como a Deluxe foram comercializadas aqui em pouquissimas unidades (tal qual a 883 Low em 2006 e raríssimos modelos 2007).

Família Dyna.

Aqui, a maior confusão é além de trocar o nome dos modelos…também é a fome de comer o nome…. O erro mais frequente observado é dizer que tem uma “Glide”…. interessante, quando vejo isso, minha pergunta é “qual glide o sujeito tem?? uma Electra? uma Dyna?”.

Outro erro muito frequente é chamar as Super Glide de Wide Glide… já vi diversas Dyna Super Glide da década de 90 serem anunciadas desta forma…mais uma vez, são motos bem distintas e com o VIN que ajuda o mais desatento a identificar o que se está vendo.

Chamar a Super Glide Custom, de Dyna Custom é algo de doer os olhos…e muito disso, veio do Marketing da Izzo… na tentativa de diferenciar o modelo da Super Glide mais básica. Mas devemos sempre mencionar o nome correto….é uma (Dyna) Super Glide Custom e não Dyna Custom!!

As motos comercializadas da família Dyna foram/são:

– Dyna Super Glide (posteriormente, introduzida a Super Glide Custom)

– Dyna Low Rider (poucas unidades EVO por aqui….e recentemente introduzida na linha 2015)

– Dyna Wide Glide (comercializada até 2000 no Brasil)

– Dyna Convertible (mais uma vez, poucas unidades foram comercializadas).

– Dyna Switchback (que ainda existe nos outros mercados, porém deixou a linha no Brasil).

– Street Bob (introduzida no nosso mercado em 2015).

– Fat Bob (introduzida no Brasil em 2012)

1998 FXD Dyna Super Glide

1998 FXD Dyna Super Glide

2005 FXDWG - Dyna Wide Glide

2005 FXDWG – Dyna Wide Glide

Família Softail

Aqui a coisa é ainda pior….e que merece um pouco de história….

No passado, antes de 1971 as Harley de grande porte (não vamos falar dos modelos de baixa cilindrada) eram divididas em 2 famílias basicamente: as Sportster (XL) e as Electra Glide (FLH). Em 1971, Willie G. teve a brilhante ideia de tentar casar um chassi mais esportivo com o motor mais forte das Electra Glide…e ai surgia a Super Glide (FX).

O “F”, naquela época, identificava que o motor era o Shovelhead de 74 polegadas Cubicas, enquanto o “X” mostrava-se que tratava-se de um chassi mais esportivo…. com o evoluir dos anos… ficou-se estabelecido que o “X” identificaria as motos que possuiriam frente fina…enquanto o “L” para aquelas que possuiam frente mais larga.

A família Softail desde sua introdução, foi composta por modelos que tinham frente fina (FX) e outros que tinham frente mais larga (FL). Em 1999, a HD tentando criar um modelo que fosse uma base para customização a partir da Softail Custom (FXSTC) criou a Softail Standard (FXST)…que iniciou sua comercialização aqui no Brasil neste mesmo ano. Só que, o marketing do Grupo Izzo, não querendo se render ao termo Standard, que indicaria algo mais básico….optou por chamar a moto de “Softail FX”…..e muitos seres humanos até hoje repetem este termo…

Veja bem, nos anos 2000 a linha Softail era composta, basicamente pelos seguintes modelos:

– FXST – Softail Standard

FXSTC – Softail Custom

FXSTB – Night Train

FXSTS – Springer Softail

FXSTD – Softail Deuce

FXCW(C) – Rocker / Rocker C

FLSTSB – Cross Bones

FLSTF – Fat Boy

FLSTC – Heritage Softail Classic

FLSTS(C) – Heritage Springer (e posteriormente, Softail Springer Classic)

FLST – Heritage Softail (Aqui chamada de Heritage Custom)

FLSTN – Softail Deluxe

Veja o leitor mais atento,…. todas as Softail de frente fina recebem a denominação de FX….sendo assim, a Deuce é uma “SOFTAIL FX”….assim como a Rocker e a Night Train por exemplo…..sendo assim…é considerado um erro crasso denominar a SOFTAIL STANDARD (que tem este nome!!) por SOFTAIL FX….Uma vez que TODAS as Softail de frente fina são FX…oras… E ainda tem muita, mas muita gente mesmo…que repete isso…e sem saber….

1999 FXST Softail Standard

1999 FXST Softail Standard

Família VRSC

Aqui a coisa chega até ser cômica…. esta família surgiu em 2002 com o modelo V-Rod que foi a primeira moto de refrigeração líquida que a Harley colocou a venda no mercado (não foi a primeira desenvolvida…e também não foi a primeira desenvolvida conjuntamente com a Porsche…. assunto extenso para outro post).

Desde 2002, quando as primeiras aportaram em Terra Brasilis…. não sei qual foi o primeiro ser humano a soltar que a moto se chamava “V-Road”…. desta vez…não culpo o marketing da Izzo, uma vez que chegou-se a publicar anúncios e vender camisetas com o logo do modelo escrito corretamente.

Certamente não saberemos quem foi o criador desta falácia…a palavra Rod possui diversos significados, dentre eles haste e biela…. e nada haver com ROAD (estrada). Muitos, inclusive a imprensa motociclistica brasileira repetiram este termo… o que veio a ser corrigido mais recentemente, mas ainda assim…não é dificil, mesmo donos da motocicleta se referirem a ela como V-Road…

V-Rod Logo

Família Touring

electraglidemod

O nome dos modelos da família Touring sempre foram tradicionalmente muito compridos….e o maior problema aqui é o mesmo das Dyna….comer o nome dos modelos….

A Road King, no seus primórdios se chamava Electra Glide Road King, em 1994 quando foi lançada…já no ano seguinte, ficou apenas com o Road King.

As Electra Glide, tinham 3 modelos na década de 90 e mais recentemente surgiu a Ultra Limited.

– Electra Glide Standard – comercializado até 2001, muitos anunciam ela como Electra Glide Classic, aqui até dá para perdoar, uma vez que os sites não permitem selecionar este modelo….porém na descrição do anúncio, mantém-se essa informação e ai  é onde surge a confusão.

– Electra Glide Classic – comercializada aqui até 2009 e após alguns anos foi tirada de linha nos EUA.

– Ultra Classic Electra Glide – O erro principal aqui é chamar a moto de “Ultra”…..ou “Ultra Electra Glide”, “Ultra Glide”….e ainda quando usa-se o nome inteiro…. embaralha-se tudo…e fica “Ultra Electra Glide Classic”

– Ultra Limited Electra Glide – esta também sofre de nomes curtos…. “Limited” é o mais comum…

Bom, espero que o texto atinja o objetivo de esclarecer e levar um pouco de conhecimento a um mundo que cada vez mais está crescendo com novos clientes….porém vale a pena ler para não repetir asneiras…

Abraxx a todos