Test Rides, Vistas a Dealers e algumas avaliações

Boa Noite amigos Leitores,

Estava já planejando escrever esta coluna há algum tempo e agora tenho bons motivos de sobra para fazê-la.

Deste janeiro deste ano, tive a oportunidade de participar de alguns test rides de modelos da Harley e também da Indian e vou agora descrever e analisar calmamente cada momento.

Havia a dúvida, se escreveria em ordem cronológica ou de acordo com o que eu mais gostei para o que menos gostei….e acho que o mais justo seria escrever na ordem que as coisas aconteceram….mas já aviso de antemão, o último relato que é o Test Ride mais recente foi o que eu mais gostei.

Então vamos começar:

1- Harley-Davidson USA

Estive em viagem no inicio do ano a Miami, e em um dos finais de semana optei por passar no Peterson’s North Miami para olhar o showroom. Já conhecia o dealer de outras passagens e na loja em si nada me chamou a atenção.

Porém, era o final de semana que estava ocorrendo o Miami Motorcycle Show e por conta disso o Demo Truck da Harley estava na revenda. Desta forma, optei por participar do test ride.
Para quem nunca participou de um, não tem mistério, basta apresentar a sua carteira de motorista e estar vestindo roupa apropriada… o capacete, se você não tiver um, é disponibilizado.

Na ocasião, tinha uma boa variedade de modelos para se escolher desde Sportsters até as CVO Limited e CVO Road Glide. Pode se rodar em quantas motos quiser, sem limites.

O primeiro modelo que acabei escolhendo foi uma Dyna Low Rider já com o novo Twin Cam High Output.
O trajeto do test ride foi explicado pelo piloto que iria “puxar o bonde”  e na verdade era uma volta em “quadrado” (não necessariamente um quarteirão…bem maior do que isso) e que seria um trajeto com um total de 7 milhas nas largas avenidas da cidade.


Sai com a moto e fui seguindo o trajeto na velocidade do grupo, que variava em 60-65 mph, ou seja, dava para realmente sentir a moto.

Em relação a moto, achei-a muito confortável e comparativamente com a minha 883 Low, a moto se mostrou com uma condução mais dócil e mais fácil de se fazer curvas, porém ao meu ver houve 2 pontos negativos….o primeiro é que achei a dianteira da moto leve demais e o segundo que os botões dos comandos de punho eram muito duros comparado com o toque da minha Sportster.


Dali, optei por experimentar a novissíma Softail Slim S. De pronto a posição me agradou muito mais do que a da Low Rider, com o Hollywood handlebar. Neste modelo específico, a orientação é que eu fosse o segundo do bonde logo atrás de uma V-Rod Muscle.


A moto é muito confortável e mais fácil ainda do que a Low Rider de ser pilotada, porém, temos alguns contratempos. O primeiro é sua baixa altura ao solo, o que faz você raspar a plataforma nas curvas com uma tremenda facilidade. O segundo, por conta do motor de 1800cc, a embreagem é muito mais dura do que o habitual e o motor por ser arrefecido a ar (diferente as CVO que é o Twin Cooled) esquenta bem….além da questão dos comandos de punho.


Gostei bem da Slim (não precisaria ser a S…) no caso se eu fosse fazer um upgrade dentro da Harley….porém o modelo não é comercializado no Br.

2- Autostar Harley-Davidson

Ao acompanhar minha esposa em um sábado em SP, onde ela foi para sua aula de pós-graduação, optei por dar uma passada na loja da Autostar na região da Nações Unidas, já que eu não conhecia a loja. Aproveitei para testar o atendimento do lugar, já que conheço o atendimento da ABA (péssimo) e da Tennessee (variável).

Num primeiro momento, rolou a síndrome do fantasma….fiquei andando pelo showroom sem que ninguém me abordasse, até o momento que sentei em uma Low Rider na cor Cosmic Blue.
Me fiz de um cliente que não conhecia a moto e passei a perguntar sobre o modelo, e o vendedor em questão mostrou ter um certo conhecimento sobre o modelo. Porém, a conversa logo virou ao iniciar uma certa empurroterapia para uma Fat Boy e então tentei ver se um test ride era oferecido…. Sentamos a mesa e me foi passado os números (da Fat Boy e não da Low Rider que olhara primeiro)…..e ouvi a pérola: “quando você vier fechar você faz um test ride”…Poxa, se eu for a loja para fechar negócio já não terei mais dúvidas sobre o modelo, certo?? Ponto negativo aqui.
Agradeci ao atendimento e fui embora….para o próximo destino.

3- Indian Motorcycle SP

Estive na loja da Av. dos Bandeirantes na sua inauguração e já conheço os modelos da Indian de frequentar o dealer em Miami, porém nunca havia chegado a andar em uma.
Encontrei amigos de Santos que estavam pela loja e que estavam fazendo Test Rides e na sequencia, pedi para rodar em uma Scout.

Fui prontamente atendido a solicitação, assinei documentos, peguei capacete e fui explicado pelo piloto que me acompanharia qual seria o trajeto….que na verdade era apenas uma volta no quarteirão…simples assim.

Saimos e pude, já na rua atrás da concessionária, sentir o quanto o modelo é superior a HD no quesito conforto, já que estava em uma rua esburacada e de paralelepípedos. Além do conforto proporcionado pelo banco e suspensões, pude ver que o modelo tinha uma boa potência e torque, ainda que não passara da segunda marcha. Porém, para minha surpresa, o motor com arrefecimento líquido esquenta tanto quanto a minha Sportster num dia quente….e a moto estava com escape original.


Fui bem atendido, passado valores dos modelos e uma avaliação da minha moto.

4- Indian Motorcycle Rio

Honestamente, é aqui que as coisas realmente brilharam…Acho que todos os dealers deveriam fazer treinamento com o time desta loja.

Estava em Congresso no RJ e resolvi passar na loja para visitar o Lobo e o Felipe Carlier. De pronto, fui calorosamente recebido o que me fez me sentir em casa….conversamos bastante e a convite deles fui rodar nas motos.

Assinado papeis e capacete (Aqui vai um review a parte mais embaixo….) sai com a Scout enquanto o Lobo, que me acompanhava, foi com uma Chief.

Realmente agora tive a possibilidade de sentir a Scout de verdade…confirmando as minhas impressões iniciais de que era uma moto extremamente confortável, com uma excelente pilotagem e com um baita torque. Notei que a aceleração dela me pareceu um pouco brusca e o ABS por outro lado, transmitiu muita segurança.
A Scout em questão estava com ponteiras abertas, o que permitiu ouvir o seu som real, e notei que a moto esquentava como o modelo de SP que estava com o escape original.

Num dado ponto do trajeto, o Lobo me ofereceu para trocar pela Chief. Confesso que o tamanho da moto já no showroom me deixava um tanto intimidado e mencionei isso, mas as palavras de confiança foram boas e optei por pilota-la.

E que moto surpreendente!! Super estável, segura e potente…diferente da Softail Slim S que testara nos EUA…sua aceleração é linear, a moto, apesar do tamanho é de muito fácil condução mesmo em situações de corredor….e te traz muita segurança. Alem, de claro do ABS na hora das paradas.
Confesso, que tive uma certa dificuldade em curvas por estar desacostumado com o modelo, mas em nenhum momento me transmitiu qualquer insegurança. Além do mais, o motor de refrigeração a ar, não esquenta!!
A moto é sim superior a Harley no quesito acabamento e no tocante a conforto….o modelo praticamente sana todos os defeitos que a HD tem.


Voltamos a loja e conversamos bastante.

A Chief, mudou os meus conceitos e apesar do seu tamanho, o peso de 357kg nao assustam tanto devido ao seu quadro em alumínio.

Vou ser bem honesto, a proposta de negócio da Indian Rio foi fantástica e no momento estou naquela fase de convencer a esposa e fazer uma matemática para as coisas darem certo.

Como disse ao Felipe….entrei na loja com a Scout na cabeça e sai com a Chief no coração.


Aos críticos da Indian…acho que é merecido abrir a cabeça e realizar um test ride….realmente é algo que surpreende e muda os conceitos de qualquer um.

Agora, o review do capacete: Muitos já devem ter visto no facebook e nas diversas lojas de motocicletas e oficinas o capacete da marca Urban. Trata-se de um capacete de alta qualidade e ultra confortavel…vale a pena o investimento (não sei o preço)….superior a muitos capacetes “old school” que se vê por ai….basta olhar o acabamento dele e o confot.

Enfim….estou super balançado para colocar uma Chief vermelhinha na garagem….. Se você estiver pelo RJ…não deixe de ir visitar os rapazes da Indian Rio e se for fechar negócio numa Indian…não o façam sem falar com eles….é garantia de excelente negócio.

Abraxx a todos!

Anúncios

3 comentários sobre “Test Rides, Vistas a Dealers e algumas avaliações

  1. Ótima matéria, me chamou a atenção o termo ¨síndrome de fantasma¨, estive em 3 lojas em 3 cidades diferentes, incluindo a Autostar, e tive a mesma impressão. Quanto a qualidade das marcas acredito qu a Indian esteja apostando alto para enfrentar a rival, mas sinceramente independente de comparativos, ao lado direito ate forte a HD.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Dan, excelente postagem, como sempre. Fiz um teste curto com a Chief e não me impressinei. Talvez tenha faltado mais tempo de rodagem para apreciar melhor. Faço votos que você tenha muitos quilometros felizes na Indian, se o negócio fechar. Abraços.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s